Luís Montenegro aproveitou as jornadas parlamentares do PSD para acusar o ministro das Finanças, Mário Centeno, de "piromania política", e pediu uma palavra de tranquilidade do primeiro-ministro sobre a possibilidade de Portugal ter de enfrentar um novo resgate.

Em causa está uma entrevista do ministro Mário Centeno à cadeia televisiva norte-americana CNBC, em que as palavras de ministro estão a ser interpretadas por alguns, como estando a tentar evitar um segundo resgate. Foi essa a pergunta da entrevistadora, sem que o entrevistado tenha utilizado alguma vez a palavra em questão: resgate.

Estamos a fazer uma série de esforços para estabilizar o sistema financeiro o que é crucial para o investimento e para a economia crescer", foi a resposta do ministro.

 

Para o líder parlamentar do PSD, há contudo uma postura criticável por parte do ministro das Finanças, que o primeiro-ministro deve corrigir.

É devida ao Governo e ao primeiro-ministro uma palavra de tranquilidade sobre este assunto, o assunto é demasiado sério, coloca Portugal num radar prejudicial às famílias e empresas portuguesas", desafiou Luís Montenegro, na abertura das jornadas parlamentares do PSD, que decorrem em Coimbra.

Para o presidente da bancada social-democrata, "é muito sintomático" que esta posição tenha vindo daquele que "devia ser o portador de uma mensagem de confiança" na política económico-financeira do executivo PS.

Um ministro das Finanças não diz que está a tentar evitar, evita (...) É verdade que ele tem uma certa tendência para a piromania política", acrescentou Montenegro.