O homem ainda não descobriu a eterna juventude, mas parece ter descoberto, sem querer, a imortalidade. Na Internet é impossível apagar a nossa história. Quanto mais dependemos das novas tecnologias, mais nos enredamos na teia da rede.

Não é fácil apagar perfis ou fechar contas, principalmente se as pessoas em questão tiverem falecido sem deixar as suas palavras passe ou códigos de acesso. No entanto, com maior ou menor grau de exigência é possível chegar ao último clique.

Depois de algumas más experiências, o Facebook, o Google ou o Twitter criaram fórmulas que torna possível apagar perfis, dar baixa de emails ou serviços. E não são os únicos. O tvi24.pt deixa-lhe aqui o endereço de um site, ou melhor um blogue, o Entrustet HIWI Blog que explica todos os passos que um utilizador deve dar para encerrar uma conta.

Mudar de nome

Eric Schmidt, director-executivo da Google, afirmou numa entrevista ao «The Wall Street Journal», em Setembro de 2010, que a única forma de fugir ao passado na Internet será mudar de identidade. O alerta era especialmente dirigido aos jovens que, na sua opinião, parecem não perceber consequências de colocarem tanta informação pessoal na «web».

«Penso que a sociedade não entende o que acontece quando tudo está disponível, publicado e gravado por todos o tempo inteiro», afirmou ao jornal norte-americano. Para o futuro, Schmidt «prevê que todos os jovens um dia terão automaticamente direito a mudar de nome ao chegarem à vida adulta de modo a deixarem para trás as travessuras da juventude guardadas nas redes sociais».

O executivo foi mais longe e confessou que o Google guarda cada vez mais informações sobre os seus utilizadores.