O Tribunal Judicial de Cabeceiras de Basto, distrito de Braga, aplicou esta sexta-feira prisão preventiva a um homem de 56 anos, suspeito do crime de incêndio florestal, informou fonte policial.

O homem foi detido pela Polícia Judiciária (PJ) de Braga e, segundo esta força, terá atuado “num quadro de consumo excessivo de bebidas alcoólicas e desavenças familiares”.

O incêndio registou-se em Cabeceiras de Basto, face à EN-205.

Também esta sexta-feira, o Tribunal Judicial de Viana do Castelo aplicou apresentações semanais em posto policial a uma mulher igualmente detida pela PJ de Braga por um crime de incêndio florestal.

A detida, de 36 anos, é funcionária de um lar de idosos situado na área da União de Freguesias de Barroselas e Carvoeiro, em Viana do Castelo.

O incêndio ocorreu na quinta-feira, nas imediações do referido lar, sendo que, segundo fonte da PJ, este será já o nono fogo ali registado desde setembro.

A mulher foi “apanhada” por sapadores florestais.

Em 2017, a PJ já identificou e deteve 100 pessoas pela autoria do crime de incêndio florestal.