A palavra «cambio» marcou o discurso de Pablo Iglesas, o líder do Podemos, que prometeu este sábado essa mudança desejada entre os espanhóis. Acredita que Madrid fez História na «Marcha del Cambio» e que vem aí um virar de página na Europa.



O Podemos vai na linha da frente das sondagens, em Espanha. Pablo Iglesias aproveitou a onda de esquerda das eleições na Grécia, que deram a vitória ao Syriza, para testar a mobilização que colhe entre os espanhóis. E conseguiu levar milhares de pessoas à praça Cibeles, no centro de Madrid, e ruas adjacentes. «Que bonito é fazer História!», disse, entusiasmado, no palco montado na praça, depois de ter estado no meio da multidão:

«O vento da mudança começa a soprar. Obrigado por estarem aqui». «Vamos ganhar as eleições ao Partido Popular. A Democracia é a possibilidade de mudar o que não funciona. Aproveitemos este momento»

Repetiu, inclusive, parte dessa frase em grego, para reforçar que a Europa está mesmo a mudar de rumo. E ficou emocionado por ver o povo voltar a sorrir:
 
Pablo Iglesias chamou quem está no poder de «aristocratas arrogantes» e disse que «o que está em jogo hoje, na Europa e em Espanha é a própria democracia. Nós estamos com a democracia», assegurou. Na reação, ainda a marcha decorria, o presidente do governo espanhol, Mariano Rajoy, foi duro: «Não aceito a Espanha negra que pintam. São uns tristes», atirou, segundo o «El País».

Já Pablo Iglesias, para além das críticas ao executivo de Rajoy, deixou vários recados à Europa, de forma bastante direta, citando, por exemplo, o nome da chanceler alemã:

«A soberania europeia não é da troika, não é de Merkel, não é dos bancos, é dos cidadãos»

«Sonho» foi outra das palavras que marcou o seu discurso: «Sonhamos com um país onde ninguém fique de fora, onde não haja uma família sem teto onde passar a noite». Por isso, Pablo Iglesias não tem dúvidas que é possível e incitou os espanhóis a fazê-lo, sem medos: