A Cruz Vermelha norte-americana foi acusada de racismo por utilizadores das redes sociais. Em causa está um cartaz que apelava a comportamentos responsáveis nas piscinas comunitárias, para prevenir situações de afogamento e quedas graves. Nesse cartaz eram indicados os bons e maus comportamentos que as várias personagens desempenhavam. Os internautas identificaram que a maioria dos bonecos que se comportavam negativamente eram de cor negra.

“Sê divertido, segue as regras,” adverte o cartaz em questão. Nessa imagem encontram-se crianças que estão a nadar ou nas zonas limítrofes da piscina. As setas apontam para a crianças “divertidas” e aquelas consideradas “não divertidas”.

Hey, @RedCross, send a new pool poster to @SalidaRec bcthe current one they have w your name on it is super racist pic.twitter.com/TY8MmFB3Qk

— John Sawyer (@JSawyer330) June 21, 2016

Os internautas sublinharam que as duas crianças que exibem um comportamento “divertido” são brancas. Por outro lado, a maioria das crianças “não divertidas” são crianças de cor. Um menino está a empurrar outro para a água, outro menino está a correr e o terceiro está a saltar para a piscina.

O cartaz foi exposto nas piscinas de Salida, no Colorado, e um utilizador da rede social Twitter decidiu captar uma fotografia e lançar a discussão. A Cruz Vermelha apresentou, prontamente, um pedido de desculpas.

Pedimos, profundamente, desculpa por qualquer desentendimento, não foi nossa intenção ofender ninguém. Como uma das mais antigas e maiores organizações humanitárias da nossa nação, estamos comprometidos com a diversidade e inclusão em tudo o que fazemos, todos os dias”, declara a organização humanitária.

A Cruz Vermelha garantiu ter retirado a imagem do seu website e da sua aplicação e pediu aos estabelecimentos aquáticos para também retirarem o cartaz em questão das suas instalações.