O ministro das Infraestruturas e Planeamento, Pedro Marques, defendeu hoje que os desafios de segurança na aviação civil devem ser respondidos com estratégias comuns, na abertura da Conferência Regional sobre Segurança da Aviação, a decorrer em Lisboa.

Na abertura do evento da Organização da Aviação Civil Internacional (ICAO – International Civil Aviation Organization) em parceria com a Autoridade Nacional da Aviação Civil (ANAC), o governante recordou que há 500 anos os portugueses “deram novos mundos ao mundo”, através da navegação, para notar que atualmente o mundo é cruzado por milhares de voos, “juntando pessoas e culturas, permitindo o desenvolvimento de negócios e do turismo”.

Esta realidade aconteceu graças ao desenvolvimento do transporte aéreo, que levanta ainda “desafios de segurança que devem ser respondidos por estratégias comuns desenvolvidas a nível global”.

Pedro Marques recordou a importância de haver cooperação, referindo a colaboração que existe entre os países de língua portuguesa.

O governante afirmou que Portugal está disponível para colaborar com todos, sublinhando que face à sua “localização estratégica geográfica” o país soma informação sobre a região aérea de Lisboa e de Santa Maria, a “uma das mais vastas áreas de controlo no Oceano Atlântico”, “aumentando a responsabilidade do país quanto ao tráfego aéreo mundial”.

Esta responsabilidade é acompanhada pelo “forte compromisso em promover a cooperação internacional de segurança, na capacidade e eficiência da capacidade de navegação aérea”, assim como proteção ambiental e desenvolvimento económico.

Na lista dos desafios estão ainda questões relacionadas com alterações aos sistemas de aeronaves e da cibersegurança, que devem ser enfrentadas com uma “estratégia proativa desenvolvida a um nível global”.

O governante afirmou a sua convicção de que as autoridades do setor aéreo vão responder aos desafios “emergentes e aos que ainda vão surgir”.

Na abertura, a secretária-geral da ICAO, Fang Liu, enumerou várias prioridades no setor da segurança, afirmando a necessidade de aumentar a cooperação e apoio entre todos.

Na ocasião, o presidente da Autoridade Nacional da Aviação Civil (ANAC), Luís Ribeiro, notou que “novas ameaças continuam a emergir e requerem respostas das organizações internacionais e dos Estados”, exemplificando com ciberameaças ou mau uso de 'drones'.

A conferência da ICAO visa adoptar o 'road map' (indicações) para aplicação à região da Europa e Atlântico Norte.

Os resultados das Conferências Regionais serão apresentados e discutidos na segunda Conferência de Alto Nível sobre Segurança da Aviação, que a ICAO realizará em Montreal, Canadá, em novembro.