O presidente do Governo dos Açores congratulou-se, nesta sexta-feira, com o facto de o furação ‘Alex’ não ter registado grandes danos, apenas pequenas inundações e quedas de árvores, situações que foram resolvidas ao longo do dia.

“Para termos este resultado, foi fundamental também o cuidado que cada um assumiu no cumprimento das recomendações que, quer a nível municipal, quer a nível regional, a Proteção Civil emitiu na devida altura”, declarou Vasco Cordeiro aos jornalistas.

O líder do executivo açoriano esteve esta noite em São Roque, no concelho de Ponta Delgada, ilha de São Miguel, para observar no local o rasto do furacão ‘Alex’, semanas depois do temporal que gerou uma vítima mortal naquela freguesia, que constitui uma das zonas mais problemáticas dos Açores sempre que o mau tempo se faz sentir.

O fenómeno, o primeiro desta natureza a ocorrer em janeiro, em quase 80 anos, de acordo com meteorologistas norte-americanos, levou à emissão de aviso vermelho, o mais grave, para vento, agitação marítima e chuva para os grupos central (ilhas de São Jorge, Graciosa, Terceira, Faial e Pico) e oriental (ilhas de Santa Maria e São Miguel).

Apesar de não haver danos graves a registar, Vasco Cordeiro considerou que esta não é uma razão para que não se siga sempre com o “máximo rigor” as recomendações do Serviço Regional da Proteção Civil e Bombeiros dos Açores, uma vez que este é “um valor em si mesmo”.

O presidente do Governo deixou ainda uma “palavra de reconhecimento” a todos os profissionais da Proteção Civil regional, municipal e local que estiveram disponíveis para ajudar em caso de necessidade.

De acordo com informações disponibilizadas pelo Serviço Regional da Proteção Civil e Bombeiros dos Açores, foi no concelho de Ponta Delgada que se registou o maior número de ocorrências, com seis árvores caídas, um telhado duma habitação destruído, uma inundação da via pública e seis derrocadas.

No maior concelho dos Açores, registaram-se ainda danos em seis estruturas e uma inundação, num total de 21 ocorrências, tendo na Ribeira Grande, também na ilha de São Miguel, o concelho que se seguiu, gerado apenas seis ocorrências.

No total, nos 19 concelhos dos Açores registaram-se na sequência do furação ‘Alex’, 43 ocorrências, não havendo vítimas a registar.

O furacão ‘Alex’ acabou por passar a leste da Terceira para o qual eram esperadas rajadas que podiam atingir os 170 quilómetros por hora. Porém, a ilha acabou por ser afetada pela parte menos ativa do fenómeno.

O aviso vermelho foi levantado ao início da tarde, passando a amarelo, o segundo mais grave, devido à ondulação. Durante a tarde, o 'Alex' passou a tempestade tropical.