Na segunda-feira, num forum da National Public Radio, em Nova Iorque, Pharrell Williams afirmou não se considerar um ativista, mas acrescentou que “devemos usar as plataformas que podemos”.

 

“Temos de nos manter abertos. É uma conversa complicada, mas não nos podemos esquecer que a América foi construída por imigrantes. Não existiríamos enquanto país”, sublinhou.

O vídeo de “Freedom”, divulgado em julho, tem imagens do mundo inteiro, desde as iluminadas ruas de Nova Iorque às favelas indianas.