A estimativa provisória da taxa de desemprego para junho de 2016 situou-se em 11,2%, tendo-se mantido face à estimativa definitiva obtida para maio de 2016. A taxa é a mais baixo em seis anos e meio e fica abaixo do objectivo do Governo para este ano, nos 11,3%. 

Os dados, revelados hoje pelo Instituto Nacional de Estatística, referem que a estimativa definitiva da taxa de desemprego para maio ficou em 11,2%, tendo sido revista em menos 0,4 pontos percentuais face à estimativa provisória divulgada há um mês.

Em termos de valor, a estimativa provisória da população desempregada para junho foi de 568,8 mil pessoas, o que representa um decréscimo de 0,7% face ao valor definitivo obtido para maio (menos 4 mil pessoas).

Neste mês, assistiu-se a um decréscimo mensal na população desempregada de homens (2%; 5,9 mil) e de jovens (3,2%; 3,3 mil). A população desempregada de adultos manteve-se praticamente inalterada face ao mês anterior e a população desempregada de mulheres aumentou (0,7%; 1,9 mil), acrescenta o INE.

Já a estimativa provisória da população empregada foi de 4.532,3 mil pessoas, tendo aumentado 0,2% em relação ao mês anterior (mais 7,7 mil pessoas).

Nestas estimativas foi considerada a população dos 15 aos 74 anos e os valores foram previamente ajustados de sazonalidade.

Se a análise for feita aos valores não ajustados, a taxa de desemprego terá ficado em junho nos 10,7%, o que representa uma descida 1,5 pontos percentuais face a Março deste ano e a menos 75,4 mil portugueses desempregados.