O Partido Trabalhista britânico, atualmente na oposição, anunciou no domingo que formou um comité de conselheiros, que inclui o economista norte-americano vencedor do prémio Nobel Joseph Stiglitz e o francês Thomas Piketty, para ajudar na elaboração de suas políticas anti-austeridade. 

O comité vai encontrar-se trimestralmente e vai ser supervisionado pelo porta-voz das finanças do partido, John McDonnell, um aliado de extrema esquerda do novo líder do partido, Jeremy Corbyn. 

McDonnell defende a renacionalização do sistema ferroviário britânico, a limitação do poder dos seis maiores fornecedores de energia elétrica e livrar o Banco da Inglaterra da responsabilidade de estabelecer taxas de juros, devolvendo a competência ao governo. 

O Partido Trabalhista está a dar uma conferência na cidade costeira de Brighton, no sul do país, a primeira desde que Corbyn assumiu a liderança da legenda com uma vitória maciça nas eleições no início do mês, na qual derrotou figuras conhecidas e mais moderadas do partido. 

O veterano esquerdista saudou a criação do comitê pressionando sua proposta de se opor às medidas de austeridade defendidas pelo Partido Conservador, que impôs uma pesada derrota aos trabalhistas nas eleições parlamentares em maio. 

"A nossa economia deve assegurar a segurança a todos, e não apenas riquezas para alguns", disse Corbyn em nota. 

"Há agora uma oportunidade brilhante para que o Partido Trabalhista construa uma nova política económica que irá expor a falência da austeridade no Reino Unido e na Europa", disse o autor de ‘O Capital no Século XXI’.