Os cinco melhores vinhos verdes da colheita 2014 são os arintos Quinta de Linhares e Modestu's e os alvarinhos Dona Paterna, Quinta das Pereirinhas e Terras de Monção, foi anunciado esta noite no Porto.

A eleição dos melhores vinhos verdes é uma iniciativa anual da Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes (CVRVV) e os vencedores deste ano foram conhecidos durante um jantar-gala que teve lugar no Palácio da Bolsa.

Os cinco melhores receberam os prémios Best Of, a principal categoria deste concurso, e foram escolhidos por um "júri internacional composto por especialistas provenientes dos principais mercados de exportação", de acordo com a CVRVV.

"Desde 2009 que a CVRVV inclui a categoria 'Best Of' no concurso Melhores Verdes, destinada a promover um "Top 5" alvo de maior divulgação e promoção internacional", refere a própria Comissão em nota enviada à agência Lusa.


O vinho verde Quinta de Linhares é produzido numa quinta situada em Penafiel e o Modestu's é feito com uvas da sub-região de Basto, ao passo que os alvarinhos Dona Paterna, Quinta das Pereirinhas e Terras de Monção vêm da sub-região de Monção e de Melgaço, que faz fronteira com a Galiza.

O concurso distinguiu com ouro 12 vinhos selecionados por um júri composto por representantes da Associação de Escanções de Portugal, de comissões vitivinícolas e da Direção Regional de Agricultura e Pescas do Norte e por jornalistas e enólogos.

Nessa categoria, destaque para a Quinta de Gomariz, da sub-região do Ave, com dois vinhos eleitos, o Rosé Colheita Selecionada Padeiro e o Colheita Selecionada Alvarinho Regional Minho.

Curvos Branco Superior, Estreia Tinto, Messala Alvarinho, S. Caetano Escolha Arinto, Encostas de Caíz Grande Escolha Avesso, Quinta da Levada Azal, Quinta de Linhares Loureiro, Santa Cristina Trajadura, Muralhas de Monção Espumante Branco Bruto Alvarinho e Aguardente Ferreirinha são os outros premiados dos com ouro.

Foram ainda premiados com prata 17 vinhos entre "tintos, brancos, rosados, espumantes e aguardentes", indicou ainda a CVRVV.

A entidade acrescenta que, "com mais de 250 referências inscritas, concurso Melhores Verdes 2015 registou "uma grande participação de vinhos monovarietais", embora os lotes predominem, como acontece, tradicionalmente, na Região

Para Manuel Pinheiro, presidente da CVRVV, "num ano em que se discute o novo regime de direitos de plantação e o alargamento do plantio, sendo que a Região dos Vinhos Verdes está a trabalhar com stocks esgotados, é urgente captar novos investimentos em novas vinhas" para que a produção e as vendas cresçam.

Manuel Pinheiro disse à Lusa que a "região tem de assumir um novo desafio, que é a viticultura". É preciso investir em "novas plantações" uma vez que todo o vinho produzido está a ser vendido, insistiu, reforçando que esta é a "nova fronteira" que a região tem pela frente.

"As exportações estão a ser a locomotiva comercial dos vinhos verdes. Têm uma quota que já ultrapassa 40%" da produção, destacou também. Manuel Pinheiro afirmou esperar que a meta dos 50 por cento seja alcançada até ao final desta década.


Os vinhos verdes estão presentes em "111 mercados", disse.