Sem cadastro, desconhecido pela polícia, residente em Munique há mais de dois anos. Em conferência de imprensa na madrugada de sábado, a polícia revelou as informações possíveis sobre o autor da chacina ocorrida num centro comercial da cidade. As investigações ainda prosseguem.

O atirador, que terá agido sozinho, matou nove pessoas, feriu 16 - três das quais em “perigo de vida” – e suicidou-se posteriormente. Era um jovem com dupla nacionalidade, alemã e iraniana.

Entre os mortos há adolescentes e há também crianças feridas. As suas identidades só serão reveladas pelas autoridades após as famílias serem notificadas.

O tiroteio ocorreu dez minutos antes das seis da tarde, menos uma hora em Lisboa. O rapaz começou a disparar num restaurante de fast-food e posteriormente na área do centro comercial, segundo o relato do chefe da polícia Hubertus Andra.

Sem revelar a identidade do atirador, a polícia adiantou que terá usado um revólver, sem especificar.

Nada foi adiantado sobre as possíveis motivações do rapaz de 18 anos. Aparentemente, segundo a polícia, o atirador não tinha quaisquer ligações a radicais islâmicos. O seu corpo foi encontrado nas imediações do centro comercial Olympia cerca das 20.30, hora local.

Eu sou um alemão”, terá sido uma frase gritada pelo atirador enquanto disparava, segundo o relato de testemunhas, algo que a polícia de Munique disse não poder nem confirmar, nem desmentir.

Suspeitas de mais atiradores

Cerca de 2300 efetivos da polícia estiveram envolvidos numa operação em larga escala na cidade de Munique, segundo o chefe Hubertus Andra.

As suspeitas de poderem existir mais atiradores envolvidos foi levada em consideração durante várias horas em que a operação decorreu. Segundo a polícia, tal deveu-se a testemunhas que viram dois homens fugir num carro a alta velocidade.

Admitindo que pudessem ser cúmplices, a polícia investigou, concluindo que nada tinham a ver com o tiroteio.

Tragédia no centro comercial

O tiroteio no centro comercial Olympia, em Munique, ocorreu ao final da tarde.

O alerta foi dado cerca das 17.50 horas locais (16.50 horas em Lisboa) na rua Hanauer, no centro de Munique. O atirador, que terá atuado sozinho, começou a disparar junto à cadeia de restauração McDonald’s. Poucos minutos depois, terá entrado no centro comercial Olympia. Acabou por fugir para o exterior, tendo-se depois suicidado. Foi encontrado morto pela polícia.

O atirador era um jovem de 18 anos, alemão com ascendência iraniana, com motivações ainda não esclarecidas pelas autoridades.

Nenhuma organização terrorista reivindicou qualquer ligação ao tiroteio. A polícia sustenta ter-se tratado de um ataque isolado, embora prossiga as investigações.

Os meios de transporte públicos da cidade de Munique foram evacuados e estiveram encerrados durante mais de cinco horas, porque se presumia a existência de três atacantes em fuga. Posteriormente, a polícia verificou que dois homens vistos a fugir de carro do local, não tinham qualquer relação com o tiroteio.

O Ministro do Interior decretou o estado de emergência no estado da Baviera e deverá este sábado deslocar-se a Munique.

Também este sábado, está agendada uma reunião da chanceler alemã Angela Merkel com o Conselho de Segurança Nacional.

A operação policial envolveu 2.300 membros da polícia federal, apoiados por membros das forças especiais e elementos da unidade de elite anti-terrorismo da polícia alemã.

Durante a operação, que durou mais de seis horas, as autoridades apelaram a que não fossem partilhadas fotografias e vídeos do momento do tiroteio por respeito aos familiares das vítimas e para não dificultar a execução policial.