O consórcio chinês Fosun, que detém em Portugal a seguradora Fidelidade e a maior participação no BCP, comprou a maioria da histórica casa francesa de moda Lanvin, anunciaram hoje oficialmente os dois grupos, em comunicado.

A mais antiga casa de moda francesa em atividade era detida em 75% pela empresária Shaw Lan Chu-Wang, de Taiwan, e pelo empresário alemão Ralph Batel, que manterá uma participação minoritária na Lanvin, acrescentou o comunicado, sem mais detalhes.

A imprensa internacional, como o site Fashion Network, que citou fontes conhecedoras do processo, indicaram que o grupo chinês vai investir mais de 100 milhões de euros na casa francesa.

Há ainda notícias sobre a redução de vendas e prejuízos da marca francesa, fundada em 1889, sobretudo depois da saída do criador Alber Elbaz em 2015.

A Fosun detém cerca de 25% do BCP e comprou em 2014 à CGD a maior seguradora a operar em Portugal, a Fidelidade.

No âmbito da privatização da seguradora, aquando da intervenção da ‘troika’, o grupo chinês Fosun comprou, no início de 2014, 80% do capital social da Caixa Seguros – que integra Fidelidade, Multicare e Cares - por mil milhões de euros.

Atualmente, o grupo Fidelidade integra ainda a Luz Saúde e tem cerca de 5% da REN – Redes Energéticas Nacionais.

Em janeiro último, a Fosun International concluiu a compra à seguradora Fidelidade de 46.815.704 ações da Luz Saúde, representativas de 49% do capital social e dos direitos de voto.