As autoridades filipinas estão a alertar para a iminente erupção do vulcão Mayon, nas Filipinas, depois de ter sido expelida uma enorme coluna de cinzas e vapor para o céu. No último domingo, as autoridades elevaram o nível de alerta de três para quatro, o segundo mais elevado, o que significa que uma erupção perigosa está iminente.

Isto acontece depois de terem sido expelidas grandes quantidades de cinzas e areia do vulcão mais ativo das Filipinas. Os motoristas foram obrigados a tomar precauções nas estradas.

Há mais de uma semana que o vulcão está a passar por “intensas agitações” como diz o Instituto Filipino de Vulcanologia. Mais de 40 mil habitantes da província de Albay tiveram que fugir. As escolas estão fechadas e a zona de perigo foi expandida de seis para oito quilómetros.

A possibilidade de erupção é tão grande que todas as áreas à volta da cratera estão a ser evacuadas. O Instituto de Vulcanologia alerta para o “perigo de ruturas, deslizamento de terras e explosões súbitas”.

Os moradores foram também aconselhados a protegerem-se das cinzas com máscaras ou panos húmidos no nariz e na boca. Devem também tomar precauções contra os eventuais colapsos de telhados.

Em 2014, este mesmo vulcão entrou em erupção e levou milhares de pessoas a deixara cidade. Em 1841, chegou mesmo a matar 1200 pessoas.