O escritório de advogados Mossack Fonseca, epicentro dos denominados Documentos do Panamá, pediu na quinta-feira ao consórcio jornalístico que revelou informação sobre sociedades ‘offshore’ que não publique na segunda-feira a totalidade da sua base de dados.

Enviámos hoje (quinta-feira) uma carta de ‘cease and desist’ (parar e desistir) ao Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação (ICIJ, na sigla em Inglês) perante o seu anúncio de divulgar a 9 de maio a informação extraída da nossa base de dados”, indicou o gabinete de advocacia, em comunicado.

A publicação dessa informação, para a Mossack Fonseca, “é um roubo e uma violação do tratado de confidencialidade entre cliente e advogado”.