O principal índice nacional voltou hoje ao vermelho na abertura. Caiu 0,16% para 4.842,96 pontos, depois conseguiu inverter ligeiramente a tendência para voltar a cair.

A Jerónimo Martins e a Galp pode ser o contributo decisivo para travar as perdas já que na Europa o sinal também é vermelho, com os investidores a temerem uma subida mais rápida dos juros dos Estados Unidos após inflação ter registado a maior subida em três anos.

A retalhista portuguesa ganha 0,69% para 13,75 nasequência do banco de investimento UBS ter subido o preço alvo da empresa de 13 para 16 euros, segundo a Reuters.

Já a Galp Energia avança 0,08% para 11,87 euros à medida que Brent, o petróleo do Mar do Norte que serve de referência às importações portuguesa, em Londres, negoceia acima dos 49 dólares por barril.

Do lado das quedas, e ainda no sector energético, a EDP desce 0,43% para 2,97 euros, a Renováveis perde 0,61% para 6,59 euros e a REN cai 0,15% para 2,62 euros.

Na banca, hoje é dia de inversão de tendência o BCP é penalizado em 1,122% para 0,032 euros. A contrariar, o BPI que volta a subir 0,99% para 1,122 euros, um dia depois da administração do banco ter avaliado as acções em 1,54 euros, acima do preço da Oferta Pública de Aquisição lançada pelo CaixaBank.

A Ásia a sessão também foi de perdas apesar das notícias positivas da economia japonesa. O PIB do Japão cresceu 1,7% no primeiro trimestre do ano  face ao homólogo superando as estimativas dos analistas.