A Agência de Segurança Nacional norte-americana (NSA) infiltrou-se nos sistemas informáticos da Coreia do Norte. Foi isso que levou o Presidente norte-americano, Barack Obama, a poder acusar Pyongyang do ataque informático à Sony, revelou no domingo o jornal «The New York Times». 

A NSA conseguiu entrar no sistema informático norte-coreano em 2010, através de redes chinesas e conexões na Malásia, contando, ainda, com a ajuda da Coreia do Sul. O diário cita antigos funcionários norte-americanos e de outros países peritos em informática e um documento recente revelado pela NSA.

O FBI, agência federal de investigação policial dos Estados Unidos, foi o primeiro a anunciar que o governo da Coreia do Norte foi o responsável pelo ataque informático à Sony Pictures Entertainment. Um ataque que afetou seriamente a operacionalidade da empresa, levando ainda ao cancelamento da estreia do filme sobre o plano da CIA de assassinar o líder Kim Jong-un. «The Interview» acabou por ser emitido, embora com atrasos.

Recorde-se que o regime da Coreia do Norte pediu aos EUA, a 8 de janeiro, que levantem as últimas sanções impostas ao país e voltou a rejeitar qualquer vinculação ao ciberataque à Sony, que ocorreu em novembro de 2014.

A liderança de Barack Obama reforçou as sanções, precisamente em retaliação pelo ataque informático, que os EUA classificaram de «desestabilizador e destruidor».