Um grupo de homens armados tomou de assalto uma esquadra da polícia em Erevan, capital da Arménia, e fez cerca de oito reféns, entre eles o subchefe da polícia local.

No tiroteio, foi morto um polícia e feridos vários agentes. A imprensa local refere que o grupo pede a renúncia do presidente arménio e a libertação do líder da Frente de Salvação Popular da Nova Arménia, um pequeno partido da oposição.

O político e vários apoiantes foram detidos o mês passado sob a acusação de que estariam a preparar-se para tomar o controlo de vários edifícios governamentais e instalações de comunicações na capital.

A imprensa internacional acrescenta que estão a decorrer negociações para a libertação dos reféns, mas há a possibilidade de dois já terem sido libertos, segundo agências noticiosas da Arménia.

Especula-se que o grupo armado se pode ter inspirado na tentativa de golpe de Estado da vizinha Turquia, na passada sexta-feira. Já os serviços de segurança do país, acusaram os sequestradores de espalharem falsos rumores na internet, nomeadamente que teriam sido tomados outros edifícios.

"A informação é absolutamente falsa ", revela um comunicado oficial, citado pela Reuters.