As Nações Unidas exigiram, nesta sexta-feira, acesso imediato às cidades sitiadas, para poderem fazer chegar ajuda humanitária aos civis afetados pela fome, descrevendo os cercos na Síria como "uma tática bárbara". 

"Não pode existir qualquer razão ou lógica, nenhuma explicação ou desculpa, para impedir a ajuda de chegar às pessoas que passam necessidades", declarou Kyung-Wha Kang, responsável da ajuda humanitária ONU, numa reunião de emergência do Conselho de Segurança das Nações Unidas sobre o fim dos bloqueios.

A França e a Grã-Bretanha solicitaram conversações urgentes após a divulgação de relatos segundo os quais dezenas de pessoas morreram de fome na cidade de Madaya, que apenas esta semana teve acesso a ajuda humanitária.