«Este mercado tem mais problemas setoriais, relacionados com a concorrência, com o mercado e com a importância que este produto e com a importância que ele tem para a vida dos cidadãos, da economia, das empresas e das famílias que justificam uma ação concreta, mudando as regras que o enquadram e uma monitorização e uma fiscalização permanente, ativa, pro-ativa, em defesa do cidadão», disse, este sábado, o secretário de Estado da Energia, Artur Trindade.

«Este mercado não pode simplesmente ser deixado a ele próprio. O Governo acha que se tem que intervir, mas intervir com conta, peso e medida e na proporção dos problemas que encontra»

Recorde-se que os deputados da Assembleia da República aprovaram este mês, por unanimidade, a proposta de lei que vai obrigar todos os postos de combustível a comercializarem combustível simples, designado de low cost

A propósito, na próxima semana os preços tanto do gasóleo como da gasolina vão voltar a descer