Um drone britânico participou no ataque norte-americano que poderá ter matado o carrasco britânico do grupo Estado Islâmico, conhecido como “Jihad John”, mas sem disparar qualquer míssil, adiantaram esta sexta-feira as autoridades norte-americanas.

“Três ‘drones’ foram usados durante a operação, e um deles era britânico”, afirmaram as mesmas fontes, citadas pela Lusa, explicando que os aparelhos norte-americanos dispararam mísseis e que o britânico fez só monitorização.

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, disse hoje não haver ainda a certeza da morte do britânico “Jihadi John”, num ataque aéreo norte-americano na Síria, mas os Estados Unidos estão "quase certos" de que era ele. 

Entretanto, soube-se também que as autoridades turcas detiveram um britânico suspeito de estar associado a “Jihadi John”, do grupo extremista Estado Islâmico.

O homem fazia parte de um grupo de pessoas detidas durante uma operação em Istambul, referiu um oficial turco.