O ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva desvalorizou hoje as previsões para a economia portuguesa da agência norte-americana de rating, Fitch.

Já estamos infelizmente habituados a essas previsões que não têm nenhum fundamento nem efeito útil, senão trazer intranquilidade a mercados que estão tranquilos", afirmou o ministro em declarações aos jornalistas no Palácio das Necessidades, quando questionado sobre as previsões da Fitch.

A agência de rating estima que o défice português atinja 3,4% do Produto Interno Bruto (PIB) este ano este ano e os 3,3% em 2017, alertando que será difícil cumprir as metas europeias e, ao mesmo tempo, evitar uma crise política.

A Fitch duvida ainda da meta de crescimento económico prevista pelo Governo (1,8%) para este ano, acreditando mesmo que a economia desacelere no conjunto de 2016 face ao ano anterior, crescendo apenas 1,2% (uma revisão em baixa face aos 1,6% previstos anteriormente), quando no ano passado avançou 1,5%.