A ministra suíça da Justiça afirmou-se «frustrada» depois de um encontro com oficiais norte-americanos a propósito das acusações sobre o maior banco suíço ter alegadamente ajudado os norte-americanos a fugirem aos impostos.

Eveline Widmer-Schlumpf afirmou que os oficiais de justiça dos Estados Unidos têm poucos conhecimentos sobre as leis de confidencialidade dos bancos suíços, escreve a Lusa.

Widmer-Schlumpf discutiu as acusações contra o UBS AG com o general David Margolis e também com o advogado Eric Holder que evitou o assunto por ter já defendido o banco suíço em tribunal.

De acordo com a ministra suíça, Holder ter-lhe-á dito que não queria estar envolvido nos desentendimentos que perturbaram a relação entre os Estados Unidos e o banco UBS AG.

O banco já acordou com o Departamento de Justiça norte-americano o pagamento de 780 milhões de dólares (621 milhões de euros) e a revelação de 300 clientes suspeitos de fraude.

O serviço de impostos dos Estados Unidos está a pressionar o banco a revelar os registos de cerca de 52 mil clientes norte-americanos do banco suíço que terão alegadamente violado a legislação dos Estados Unidos, por usarem contas não declaradas no valor de pelo menos 14,8 mil milhões de dólares (quase 11,8 mil milhões de euros).