A viúva de Lou Reed revelou que o músico morreu no domingo em Nova Iorque a olhar para as árvores e a praticar tai chi, segundo uma carta divulgada na sexta-feira pela agência AFP.

Na carta intitulada «Para Lou Reed», colocada no portal na internet The East Hampton Star, Laurie Anderson recorda os últimos momentos do marido de 71 anos, na localidade de Springs, em Nova Iorque, onde morreu no domingo após problemas resultantes de um transplante do fígado.

«Na semana passada, prometi tirá-lo do hospital e voltar para Springs. E conseguimos», lembrou Laurie Anderson, considerando o marido «um príncipe e um lutador».

«Ele morreu na manhã de domingo a olhar para as árvores e a praticar a célebre posição 21 de tai chi, apenas com as suas mãos de músico a movimentar-se no ar», descreveu.

A também música e compositora disse que Lou Reed era mestre tai chi e passou os últimos dias «feliz e deslumbrado com a beleza, força e suavidade da natureza».

Tai chi é uma arte chinesa ancestral destinada a ajudar na redução do stress e ansiedade, através da meditação em movimento.

Lou Reed foi um dos nomes musicais mais importantes das últimas décadas e os Velvet Underground, banda que formou em 1965 com John Cale, influenciou as gerações de músicos que se seguiram.

«As suas canções de dor e beleza no mundo vão preencher muitas pessoas com a alegria que sentiu durante toda a sua vida», escreveu Laurie Anderson.