A auxiliar de enfermagem espanhola Teresa Romero, que se curou de uma infeção do vírus do Ébola, saiu hoje do isolamento no Hospital Carlos II, depois de conhecidos os resultados negativos das últimas análises aos fluídos corporais.

Segundo informou o hospital em comunicado, as análises confirmaram que não há qualquer vestígio do Ébola nos fluídos corporais da auxiliar de enfermagem, o que permite que Teresa Romero abandone o isolamento e passe para um quarto normal no 5.º andar da unidade.

O hospital divulgou, também, as primeiras imagens de Teresa Romero, no momento em que se encontrou com os colegas de trabalho e a equipa médica que a atendeu nas últimas semanas.

A auxiliar de enfermaria acusou positivo em dois testes do vírus do Ébola no dia 6 de outubro depois de ter prestado cuidados ao paciente com ébola transferido da Serra Leoa. A auxiliar de enfermagem soube que tinha a doença pela Internet , ao consultar o seu telefone e ver as notícias online. 

Teresa Romero esteve internada no Hospital Carlos II de Madrid. A paciente estava numa outra unidade de saúde da capital espanhola, no Hospital de Alcorcón, e deslocou-se sob escolta de uma dezena de carros da polícia nacional, da guardia civil e por agentes em motociclos. 

O estado de saúde de Romero agravou-se ao terceiro dia de internamento, com a doente a ser entubada por problemas pulmonares. No entanto, no dia seguinte, Teresa Romero mostrou melhorias e no dia 10 de outubro já estava consciente e conseguia sentar-se. 

Quando os médicos pensavam que a paciente tinha começado a melhorar, a auxiliar de enfermagem voltou a ter uma recaída e fontes hospitalares tiveram de confessar que a doença tem um comportamento muito irregular no corpo humano, podendo levar a um agravamento do estado de saúde «muito rapidamente».