A ONU anunciou, esta segunda-feira, que imagens obtidas por satélite confirmam a destruição do templo de Bel, joia da cidade antiga de Palmira, no deserto da Síria.

"Podemos confirmar a destruição do principal edifício do templo de Bel, e de uma colunata nas imediações", disse a instituto para a formação e investigação da ONU (UNITAR), depois de ter comparado imagens de satélite antes e depois de uma poderosa explosão registada nas ruínas da cidade antiga.

Este é a segunda ação de destruição, numa semana, do grupo terrorista Estado Islâmico (EI) contra um templo de Palmira.

A organização não-governamental Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH), com sede em Londres mas que recolhe as informações junto de uma vasta rede de militantes no terreno, tinha afirmado que o grupo terrorista fez explodir, no domingo, o interior do templo de Bel.

Palmira, situada na província de Homs, no centro da Síria, é património da Humanidade. Foi conquistada em maio pelo EI, que já destruiu vários locais arqueológicos no Iraque, país vizinho da Síria.