Mick Bennett, de 47 anos, estava a patinar com o filho de sete, quando o cigarro eletrónico que guardava no bolso entrou em combustão e começou a arder. O caso, que ficou registado em vídeo, aconteceu em Greater Manchester, no Reino Unido.

O incidente, além de assustador, acabou por ter consequêcias físicas para Mick Bennett. O homem esteve 10 dias internado no hospital, foi submetido a diversas cirurgias de enxertos de pele e perdeu sensibilidade numa das pernas, depois de um nervo importante ser atingido pela explosão.

O eletricista de 41 anos descreve que o cigarro lhe explodiu dentro do bolso, "como um foguete". "Eu andei de mão dada com o meu filho o tempo todo, porque ele estava sempre a cair. A explosão poderia ter atingido o meu filho na cara", disse o homem.

"A bateria nem sequer estava ligada. Não sei o que aconteceu. Aquilo acendeu-se como uma vela. Só me lembro de as luzes se acenderem e de a música parar. As pessoas rodearam-me e o gerente veio ter comigo para ver se eu estava bem."

Mick conta ainda que as calças derreteram e acabou por se queimar também nas mãos, numa tentativa de travar as chamas. "Foi um pesadelo. Fiquei em choque e os miúdos ficaram aterrorizados", acrescenta.

O incidente aconteceu no último dia 15 de fevereiro e o homem ainda está em tratamento. De dois em dois dias tem de ir ao hospital refazer os pensos.

 

 

Mick, que mudou dos cigarros normais para os eletrónicos há dois anos, numa tentativa de deixar de fumar, diz que agora não quer nem chegar junto de um dispositivo do género. Pondera processar o fabricante do cigarro eletrónico em causa e já procurou aconselhamento legal.