A economia francesa cresceu 0,3% no quarto trimestre de 2013, graças ao consumo privado e muito particularmente pela recuperação do investimento, depois de dois anos consecutivos de queda.

O Instituto Nacional de Estatística (INSEE), que publicou hoje os primeiros dados do Produto Interno Bruto (PIB) no quarto trimestre de 2013, também aproveitou para corrigir em alta dos dados do primeiro e terceiro trimestres, segundo os novos cálculos, mostrando que a economia francesa não retrocedeu como tinha sido anunciado, mas manteve-se estagnada.

De acordo com as novas estatísticas, a subida de 0,3% em 2013 decompõe-se em 0% entre janeiro e março, 0,6% entre abril e junho, 0% entre julho e setembro e 0,3% entre outubro e dezembro, indicou o INSEE num comunicado hoje divulgado, citado pela agência noticiosa Efe.

No quarto trimestre de 2013, o dado mais significativo foi a subida de 0,6% no investimento, depois de quedas sucessivas desde os finais de 2011, bem como o aumento de 0,5% no consumo, depois de uma subida de 0,1% no terceiro trimestre.

Somados estes elementos, a procura interna contribuiu com cinco décimas no PIB nos três últimos meses do ano passado.

Sobre o comércio externo, as exportações recuperaram no quarto trimestre (1,2%, depois de terem descido 1,6% no trimestre precedente), enquanto as importações abrandaram a sua progressão (0,5%, depois de 0,8% no trimestre anterior).

As trocas com o exterior contribuíram para um crescimento de duas décimas no quarto trimestre.

No conjunto do ano de 2013, o consumo privado cresceu 0,4%, apesar de o investimento ter retrocedido 2,1%, o que significa que a procura interna contribuiu para o crescimento global da atividade do país com duas décimas.

A variação de estoques contribuiu com uma décima, enquanto o comércio exterior tirou uma décima.