A empresa petrolífera estatal Petróleos de Venezuela SA (PDVSA) anunciou esta terça-feira que iniciará um programa massivo de «actualização de pagamentos» de dívidas pendentes desde há mais de quatro meses.

Num comunicado citado pela Lusa, a PDVSA explica que «esta medida faz parte de um esquema de revisão e análise de dívida avançado pela empresa estatal, mediante o qual se honrarão imediatamente os compromissos contraídos com mais de 90% das empreitadas e fornecedores, incluindo a totalidade de cooperativas, pequenas e médias empresas e a grande maioria de clínicas e serviços de saúde».

Precisa-se ainda que a «actualização de pagamentos beneficiará quase seis mil empreitadas e fornecedores».

Por outro lado, o ministro venezuelano de Energia e presidente da PDVSA, Rafael Ramírez anunciou, que a Venezuela está a rever as tarifas na sequência de variações nas estruturas de custos e dos gastos previstos para o sector devido à crise financeira mundial.

Em declarações à Agência Bolivariana de Notícias, o ministro venezuelano explicou: «Não vamos suspender os nossos projectos, só que estamos a rever os contratos a cinco anos porque não se podem manter as tarifas e isso deve entender-se».

Pagamentos em atraso desde Outubro

Segundo o presidente da Associação de Industriais Metalúrgicos e de Minas, Eduardo Garmendia, a PDVSA está atrasada desde Outubro de 2008 nos pagamentos de «mais de 80 milhões de dólares» a 200 empresas nacionais, situação que tem ocasionado problemas com o caixa desses fornecedores que atribuem o problema às consequências de uma crise no sector petrolífero.

A 8 de Janeiro, o dirigente sindical Will Rangel denunciou que a PDVSA suspendeu várias operações de prospecção como «medida de austeridade», incluindo a suspensão de licitações para novos projectos relacionados com a exploração e extracção de petróleo e gás.