De acordo com a GNR, este tipo de operações de fiscalização deve-se aos «riscos de acidente associados a estas infrações, com consequências muitas vezes trágicas», tendo como objetivo «alterar este tipo de comportamentos, contribuindo assim para a redução dos índices de sinistralidade rodoviária registados em Portugal».