A segunda longa-metragem do realizador João Nicolau, “John From”, foi selecionada para a competição internacional do Festival de Cinema Entrevues Belfort, em França, que decorrerá de 28 de novembro a 6 de dezembro.

De acordo com a produtora O Som e a Fúria, o filme foi selecionado para a secção do festival dedicada aos primeiros filmes (três primeiros).

"John From" encontra-se neste momento em concurso na Mostra de Cinema de São Paulo, no Brasil, segue depois para a competição do Cinemed - Festival Internacional de Cinema de Montpellier, em França, e, em novembro, será apresentado no Festival de Cinema de Sevilha, em Espanha.

Em Portugal, segundo a produtora, a antestreia será na Cinemateca Portuguesa, a 11 de dezembro (e não a 4 como tinha sido anunciado anteriormente), estando a estreia comercial prevista para 3 de março de 2016.

Na Mostra Internacional de Cinema de S. Paulo, que decorre até 4 de novembro, o filme foi apresentado na passada quarta-feira, na secção Competição Novos Diretores.

“John From” é coproduzido pela portuguesa O Som e a Fúria e pela Shellac Sud, de França, onde o filme chegará ao circuito comercial, em abril de 2016.

O filme sucede à curta-metragem "Gambozinos", que venceu o prémio de melhor curta-metragem, na Quinzena dos Realizadores, uma das iniciativas paralelas do festival de Cannes, em 2013.

A nova longa-metragem de João Nicolau é protagonizada pelas jovens atrizes Júlia Palha e Clara Riedenstein, e conta também, no elenco, com os atores Filipe Vargas, Leonor Silveira e Adriano Luz.

Nas palavras do realizador, “John From” é um filme que “procura auscultar a lógica e as metamorfoses da paixão juvenil”, sendo “assumidamente pudico e lúdico”.

A longa-metragem gira em torno de Rita, uma jovem de 15 anos que tem o verão à sua frente e um “ex-futuro” namorado, que faz tranças e tem festas onde as mostrar.

“Muito naturalmente, de Portugal ao Pacífico Sul, esta fortaleza desaba com doçura quando a adolescente vê a exposição que um novo vizinho apresenta no centro comunitário do bairro”, acrescenta uma nota da produtora, sobre este trabalho de João Nicolau.

“Gambozinos” (2013), “O dom das lágrimas” (2012), “A espada e a rosa”, longa-metragem de ficção (2010), “Canção de amor e saúde” (2009) e “Rapace”, curta-metragem de 2006, são outros trabalhos de João Nicolau, que abordar regularmente os universos da infância e da adolescência.

"Rapace" foi o primeiro trabalho do realizador nascido em Lisboa, em 1975, que trabalhou com realizadores como João César Monteiro, Margarida Gil e Miguel Gomes.

Estreada no Festival de Cannes, em maio de 2006, a "curta" “Rapace” foi galardoada com o prémio de Melhor Filme, no Festival Internacional de Curtas-Metragens de Vila do Conde.

“A Espada e a rosa” foi a primeira longa-metragem de João Nicolau, tendo sido exibida no Festival de Veneza de 2010.