A bolsa nacional segue a negociar em queda, ainda assim com perdas inferiores as das restantes praças do velho continente.

A nível doméstico, o índice PSI20 cai 1,39 por cento para os 5.737,78 pontos, com 15 das 20 empresas cotadas a transaccionarem em terreno negativo.

Na restante Europa, o cenário é ainda mais negro, já que as bolsas registam perdas que oscilam entre 2,4% e 3,16%.

A contribuir para este pessimismo estão três factores de peso: por um lado a China decidiu não vai avançar com um segundo pacote de estímulo económico, por outro, o Banco de Inglaterra (BoE) anunciou que comprar activos no valor de 84 mil milhões de euros para combater esta crise e, além disso, o Banco Central Europeu cortou, tal como era estimado, os juros para 1,5%. Mesmo assim esta decisão não foi suficiente para fazer as bolsas reagirem, já que o mercado aguardava que tal acontecesse.

BCP toca mínimo

Em Lisboa, a pressionar está o BCP que derrapa 4,84% para os 0,56 euros, depois de já ter atingido um novo mínimo histórico nos 0,55 euros. O banco está a reagir a uma nota de «research» do banco Merrill Lynch, que avaliou as acções do maior banco privado português em 0,56 euros.

Esta avaliação é mais baixa dos bancos de investimento e o que é certo é que, só este ano, os títulos do banco português já perdem mais de 30%, o que avalia o BCP em 2,64 mil milhões de euros.

Ainda no sector financeiro, o BPI tomba 2,35% para os 1,36 euros mas o BES contraria ao subir 0,53% para os 4,73 euros.

EDP desvaloriza em dia de resultados

Nota negativa ainda para as empresas do sector da energia. A EDP que divulga esta quinta-feira os seus resultados anuais de 2008, depois do fecho do mercado, recua 3,32% para os 2,35 euros. Os analistas estimam que os seus lucros deverão ter aumentado em média 19%.

Também a Galp desvaloriza 0,7% para os 8,34 euros, mesmo depois de ontem ter apresentado lucros no 4º trimestre quase que triplicaram para os 125 milhões de euros, o que representou um aumento na ordem dos 200%. Já os resultados relativos aos 12 meses do ano atingiram os 478 milhões de euros, uma subida de 14,2% em relação ao período homólogo.

PT impede maiores descidas

De resto, a travar maiores perdas está a Portugal Telecom que soma uns ligeiros 0,01% para os 6,09 euros, apesar da Zon Multimédia e a Sonaecom estarem a ser penalizadas.

A Zon Multimédia cai 1,03% para os 3,74 euros, depois de ter apresentado lucros que caíram 2,8% para os 47,9 milhões de euros, em 2008, e a Sonaecom desce 2,94% para os 1,05 euros.

Nos Estados Unidos, os futuros apontam para uma abertura em queda.