A seguradora norte-americana AIG, salva da falência pelo Estado, vai mudar de nome e será desmantelada, afirmou esta quinta-feira o seu presidente executivo, Edward Liddy, durante uma audição no Congresso convocada para discutir os prémios entregues aos seus executivos.

«Esta empresa será mais pequena até ao final de 2009. Mais pequena ainda no final de 2010», afirmou Edward Libby, acrescentando que ao «tornar-se mais pequena, diminui-se o risco», diz a AP.

O presidente executivo da AIG afirmou ainda aos senadores norte-americanos que a filial AIG Financial Products, na origem das dificuldades do grupo, ainda tem 1.600 mil milhões de dólares de exposição a contratos de risco.

«Estou a tentar desesperadamente evitar a queda descontrolada desta empresa», acrescentou.

Os contratos celebrados pela AIG para proteger os investidores do risco do não reembolso dos investimentos de risco é a causa das elevadas perdas da empresa em 2008, cifradas em 99,3 mil milhões de dólares.

O presidente da AIG afirmou ainda que o nome da empresa irá mudar, uma vez que este também foi atingido, que a empresa irá vender os seus activos e que a seguradora «tal como existe há 90 anos, deixará de existir».