A recessão nos Estados Unidos agravou-se em Janeiro e Fevereiro, de acordo com dados divulgados pela Reserva Federal norte-americana, que estima uma recuperação até ao início do próximo ano.

«As perspectivas de uma melhoria das condições económicas no curto prazo são más e não se prevê uma recuperação significativa antes do final de 2009 ou princípios de 2010», lê-se no documento do banco central norte-americano, citado pela Lusa.

«O agravamento (económico) foi generalizado», sendo os sectores da produção de alimentos básicos e a indústria farmacêutica duas das poucas excepções, avançou a Reserva Federal dos Estados Unidos.

De acordo com o documento da Reserva Federal, o turismo, o sector fabril e o mercado de imóveis comerciais foram sectores que caíram bastante.

A quebra da procura internacional também fragilizou o crescimento económico do país, sobretudo a produção agrícola e a extracção de matérias-primas, cujos negócios também registaram perdas acentuadas.

O sector imobiliário, que esteve na origem desta crise internacional, «manteve-se estanque», tendo manifestado sinais de estabilização apenas em alguns subsectores da área.

O mesmo relatório afirma que o consumo, que gera 70 por cento da actividade económica dos Estados Unidos, se manteve «muito débil», ainda que tenha apresentado um comportamento mais positivo do que o que foi registado na quadra natalícia.