A holding Berkshire Hathaway, do multimilionário investidor norte-americano Warren Buffett, teve em 2008 o seu pior ano de sempre, com uma queda nos resultados líquidos superior a 62 por cento.

Na carta anual aos accionistas, Buffett sublinha as dificuldades actuais nos mercados económicos e financeiros globais, mas deixa uma mensagem optimista, sublinhando que os norte-americanos «não podem esquecer que o país enfrentou obstáculos muito piores no passado».

A economia, cita a agência Lusa, «estará em dificuldades durante todo o ano de 2009, e provavelmente até bem depois disso», refere o multimilionário, conhecido como o «Sábio de Omaha» (sua terral Natal), pelas previsões e palpites de investimento habitualmente certeiros.

A Berkshire controla empresas como a Coca-Cola, U.S. Bancorp, Wells Fargo, Moody's Corp. e Washington Post, entre outros.

O lucro no ano passado ficou-se pelos 4,99 mil milhões de dólares, menos 62,2% do que no ano anterior.

Bem melhor do que o comportamento dos índices accionistas norte-americanos, o valor das acções da holding recuou apenas 9,6%, o segundo ano negativo nos mais de 40 anos de história da Berkshire Hathaway.