O peso da economia paralela em Portugal subiu ligeiramente em 2013 para o valor recorde de 26,81% do produto interno bruto, equivalente a 45,9 mil milhões de euros ou 60% do empréstimo pedido à troika, segundo um estudo divulgado esta quarta-feira.

Face a 2012, este valor – também equiparável a seis orçamentos anuais do Ministério da Saúde - representa uma subida de 0,07 pontos percentuais face aos 26,74% estimados como tendo sido o peso da economia não registada em 2012, referiu em conferência de imprensa o vice-presidente do Observatório de Economia e Gestão de Fraude da Faculdade de Economia da Universidade do Porto.

Durante a apresentação da atualização para 2013 do Índice da Economia Não Registada, Óscar Afonso atribuiu, em parte, a menor subida da economia não registada face a anos anteriores ao crescimento do PIB, que passou de 160.455 milhões de euros ente 2000 e 2012 para 171.211 milhões em 2013.