Em entrevista ao Diário de Notícias o jornalista e escritor, Miguel Sousa Tavares, confessou que não gosta das actuais cores da bandeira portuguesa e que esta poderia ser mais azul e branca como antigamente. «Temos a bandeira mais feia do mundo», salientou.

Para além da bandeira o escritor também não gosta do hino e quanto à selecção nacional na sua opinião «o principal já mudou». Um confesso adepto das transgressões gosta de conduzir e comer uma salada de caracóis acompanhada por uma imperial.

Tem pesadelos com o facto de voltar à faculdade para ter de fazer uma cadeira e acreditaria no paraíso se lhe garantissem que lá havia «anjinhas massagistas». Concorda com Chico Buarque quando diz que «devagar é que não se vai longe».