Afinal, o que mudou com a Primavera Árabe? Três jornalistas portugueses procuraram a resposta ao longo de quatro meses no Magreb e no Médio Oriente e mostram agora o resultado num documentário de uma hora e meia de duração.

Chama-se «A Estrada da Revolução» e teve estreia mundial, no fim-de-semana que passou, no festival Raindance, em Londres. O Cinebox falou com um dos responsáveis pelo projeto, que recordou um dos momentos mais marcantes desta viagem, enquanto a equipa filmava em território sírio.

«Um grupo de cerca de 40 crianças de famílias camponesas estavam a apanhar batatas, em redor da cidade de Binnish, quando foram atacadas pelo exército. Quando chegámos ao local, deparámo-nos com uma situação aterradora: encontrámos muitos miúdos a chorar, assustadíssimos com aquilo que tinha acontecido. E encontrámos também duas crianças já falecidas», contou o repórter de imagem João Fontes.

O jornalista falou da frustração em não conseguir ajudar as vítimas, pela «impossibilidade dessas pessoas, por pertencerem a cidades controladas pelos rebeldes, não poderem ser tratadas nos hospitais comuns».

O documentário «A Estrada da Revolução» foi distinguido este ano com o Prémio Gazeta de Multimédia do Clube de Jornalistas.