Os representantes dos trabalhadores da PT pediram ajuda às centrais sindicais para encontrar uma solução para a empresa, que salvaguarde o seu futuro e o dos trabalhadores, apelo que pretendem lançar também ao ministro da Economia.

«Pedimos reuniões às centrais sindicais para lhes explicar a dimensão da Portugal Telecom, todo o enquadramento sócio-laboral e pedimos a sua ajuda para encontrar uma solução que seja boa para todos e tanto a CGTP como a UGT manifestaram a sua disponibilidade para tal e reconheceram a importância da PT para a economia nacional», disse a agência Lusa Francisco Guerreiro, da Comissão de trabalhadores da PT, no final de uma reunião com a UGT.

A CT e os oito sindicatos representativos dos trabalhadores da PT juntaram-se numa plataforma que tem pedido reuniões ao Governo, grupos parlamentares e outras entidades, para as sensibilizar para a necessidade de resolver a situação da PT e evitar consequências negativas para os trabalhadores e para a economia nacional.

«Se houver um drama social, o Governo terá de atenuar esse problema. Este problema pode afetar toda a economia nacional», afirmou Francisco Guerreiro, acrescentando que os representantes dos trabalhadores pretendem lembrar isto ao ministro da Economia, António Pires de Lima, com quem se reúnem na quinta-feira.

Joaquim Dionisio, da comissão executiva da CGTP disse à Lusa que «a PT é uma empresa estratégica para o país, que contribuiu para o desenvolvimento de infraestruturas de telecomunicações das mais modernas do mundo e que deve manter esse papel, para assegurar o desenvolvimento do país».

O sindicalista salientou ainda a importância social da empresa tendo em conta o elevado número de trabalhadores e respetivas famílias que dela dependem, assim como empresas que para ela trabalham.

«É preciso que os trabalhadores reajam e mantenham a pressão sobre o Governo para que a PT mantenha o seu papel e, se necessário, volte a ser recolocada no setor empresarial do Estado. Nós tudo faremos para os apoiar na defesa da empresa e dos seus postos de trabalho», defendeu Joaquim Dionísio.

Luís Correia, da comissão executiva da UGT, também reconheceu a importância da empresa no panorama nacional e também disponibilizou o apoio da central para o que fôr preciso, nomeadamente para tentar sensibilizar o Governo.

O sindicalista disse à Lusa que a UGT vai pedir uma reunião ao ministro da Economia para, entre outros assuntos, abordar a situação da PT.