O Governo decidiu vai avançar com a compra de cinco aeronaves de transporte KC-390, com opção de mais uma.

O Conselho de Ministros autorizou o início das negociações com a Embraer a aquisição das aeronaves destinadas a substituir os aviões C-130, que estão ao serviço da Força Aérea Portuguesa desde o final da década de 70.

Este negócio engloba ainda a compra de um simulador de voo para a nova aeronave, a ser instalado em território nacional.

Neste momento não foram avançados prazos para a concretização do negócio nem mesmo os valores envolvidos.

Este é um avanço já esperado, uma vez que Portugal é um dos 30 países envolvidos no projeto da brasileira Embraer, tendo participado na construção e desenvolvimento através da unidade da empresa em Évora, onde foram construídos componentes da aeronave e também através das OGMA (Oficinas Gerais de Material Aeronáutico) de Alverca.

O KC-390 é uma aeronave de transporte tático e logístico e de reabastecimento em voo, e com capacidade de carga a rondar as 23 toneladas.

A intenção é substituir a frota de C-130H-30 que equipa a esquadra 501 “Bisontes” da Força Aérea Portuguesa.

Numa comparação direta entre as duas aeronaves, o KC-390 acrescenta uma capacidade de carga de mais cerca de 5 toneladas, é mais rápida em velocidade de cruzeiro (547 km/h vs 800 km/h). No entanto reduz a autonomia da esquadra dos atuais 6.480 km para um máximo de 4.815 km.

Tal como os C-130, as novas aeronaves vão desempenhar missões nos vários pontos do globo em que estão empenhadas forças nacionais.

Apesar de o governo não ter ainda revelado o custo de cada uma das 6 aeronaves que pretende adquirir, várias fontes apontam para um valor entre os 59 e os 70 milhões de euros.