O EBay revelou, esta terça-feira, que irá separar-se da sua unidade de pagamentos PayPal criando uma empresa de capital aberto. Assim, realiza-se o pedido feito pelo magnata Carl C. Icahn, acionista do fundo, há nove meses atrás.

A decisão irá dividir o EBay quase ao meio, separando o processador de pagamentos, adquirido há 12 anos, e transformando-o.

A mudança está prevista ficar concluída no segundo semestre de 2015. John Donahoe, chefe-executivo do eBay, vai deixar esse cargo, assim que a separação esteja completa, e estará no conselho de pelo menos uma das duas empresas.

O PayPal era a principal razão de uma longa batalha entre o eBay e Icahn, que exigiu alterações na empresa para gerar mais valor para os acionistas. Tal ação destacaria os pontos fortes do PayPal, deixando a equipa de gestão e as atenções do eBay centradas nos negócios principais.

O presidente-executivo do eBay rejeitou firmemente esse pedido, argumentando que a empresa recolheu muitos benefícios por se ter agarrado a um dos principais processadores de pagamento, e vice-versa.

«Acreditamos que a melhor maneira de conduzir um valor de longo prazo para os acionistas é manter o eBay e o PayPal juntos», afirmou Donahoe numa conversa com um analista em janeiro, depois de revelar as intenções de Icahn.

Icahn reduziu as exigências para um PayPal independente, sugerindo a colocação de apenas 20 por cento do negócio de pagamentos no mercado de ações.

Depois de se levantar uma discussão com Icahn, em abril, dando-lhe quase nada além da adição de uma solução mutuamente acordada pelo diretor, a empresa deu poucas indicações de que uma separação poderia acontecer tão cedo.

No entanto, Icahn conseguiu ver a sua decisão ter sucesso. Em entrevista, Donahoe reconheceu que o eBay estava a seguir a estratégia que Icahn tinha recomendado e que a empresa tinha rejeitado inicialmente. Afirmou, no entanto,  que a empresa chegou à sua conclusão através de «um processo deliberado», e não pela reação à pressão externa.

Donahoe permitiu «um ritmo de mudança acelerado nos últimos seis meses» no setor de pagamentos, devido ao surgimento do «Apple Pay» e da oferta pública inicial da Alibaba.

Acrescentou ainda que retirar o PayPal teve outro importante benefício: atrair um novo líder.
Quando o PayPal começar a sua nova vida como uma empresa de capital aberto, Daniel H. Schulman, um executivo sénior da American Express, será o presidente-executivo.

Vários analistas tinham inicialmente defendido o eBay, argumentando que fazia sentido o comércio eletrónico e o processador de pagamentos estarem dentro da mesma empresa.

Outros consideraram que manter o eBay só iria prejudicá-lo. Seth Shafer, analista da SNL Financial, defendeu no mês passado que as empresas de comércio eletrónico, como a Amazon, evitavam o uso do serviço desde que se tinha aliado a um concorrente superior.

O eBay adquiriu o PayPal em 2002, depois de se ter tornado um método de pagamento no mercado online. Desde então, tornou-se uma das peças de maior crescimento do eBay, representando cerca de 41 por cento da receita líquida do eBay no ano passado.