A taxa de desemprego da zona euro ficou nos 10,2% em abril. Uma quebra face aos 11% do mesmo mês de 2015, e uma estabilização em relação a março, anunciou hoje o gabinete de estatística europeu, que fala do valor mais baixo do desemprego desde agosto de 2011.

De acordo com o Eurostat, para o conjunto da União Europeia (UE), a taxa cifrou-se em 8,7%, a menor desde abril de 2009.

Segundo os mesmos dados, as taxas de desemprego mais baixas verificaram-se na República Checa (4,1%), a Alemanha (4,2%) e Malta, enquanto as mais altas foram observadas na Grécia (24,2% em fevereiro) e em Espanha (20,1%).

Em termos homólogos, a taxa de desemprego baixou em 25 estados-membros,  incluindo Portugal (de 12,8% para 12%), manteve-se estável na Bélgica e aumentou na Estónia e na Letónia.

O Eurostat refere ainda que em abril deviam haver cerca de 21,224 milhões de homens e mulheres desempregados no conjunto dos 28 Estados-Membros, dos quais 16,420 milhões na zona euro. Menos 106 (28 estados-membros) mil e 63 mil (zona euro), respetivamente face a março.