Os custos do trabalho desceram na zona euro no segundo trimestre, face ao período homólogo, e pela primeira vez desde o final de 2011, com Portugal a reduzir os custos da mão de obra em 0,9%.

Segundo os dados hoje publicados pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), os custos do trabalho diminuíram entre abril e junho, face ao período homólogo, porque os ganhos de 0,4% de produtividade não compensaram totalmente a subida de 0,1% da remuneração.

Em Portugal, a subida de 0,3% da produtividade igualmente não compensou a descida de 0,6% do custo unitário do trabalho, segundo os dados da OCDE.

A descida dos custos laborais foi igualmente pronunciada na Eslováquia (1,2%) e em Itália (0,7%) e mais moderada na Alemanha (0,1%).

No conjunto dos países da OCDE, os custos unitários do trabalho desceram 0,2%, tendo para tal contribuído, além dos países da zona euro, a Coreia do Sul (-2,8%), a Noruega (-2,6%) e o Japão (-0,9 %).