O ministro das Finanças alemão, Wolfgang Schäuble, disse esta quinta-feira que a Alemanha quer reduzir a sua dívida pública para 60 por cento do PIB nos próximos anos para cumprir um dos principais critérios dos tratados europeus.

O ministro considerou que para isso é necessário manter a disciplina na despesa nos próximos anos e aproveitar a boa situação económica da Alemanha.

Numa altura em que prosseguem as negociações entre democratas-cristãos e sociais-democratas para a formação de uma nova coligação governamental, Schäuble defendeu também que não se devem pôr em risco as metas com projetos despesistas nem com decisões erradas que afetem o crescimento económico.

O ministro falava numa conferência de imprensa destinada a apresentar as estimativas da receita fiscal.

Este ano, deverão entrar nos cofres do fisco alemão 620.500 milhões de euros, cerca de 5 mil milhões mais do que o apontado nas previsões de maio.

Segundo os peritos, as receitas deverão continuar a subir até 2018, atingindo nessa altura 731.500 milhões de euros.