O mercado das telecomunicações em Portugal voltou a agitar-se em 2013 com as fusões da Zon com a Optimuse da PT com a brasileira Oi, mais de 10 anos depois da venda da OniWay aos três operadores móveis.

No final de 2012, o setor das telecomunicações dava sinais de movimentação, quando a 14 de dezembro a Sonaecom e Isabel dos Santos, acionista de referência da Zon, anunciaram que tinham chegado a acordo para promover junto das administrações da Zon e da Optimus uma operação de fusão entre as duas empresas.

Esta fusão, que se concretizou em agosto último, acabou por marcar um setor que estava calmo em termos de fusões e aquisições desde o final do ano de 2002, altura em que a quarta operadora móvel OniWay, na altura detida pelo grupo Oni, foi comprada pelas concorrentes móveis TMN, Optimus e Vodafone, o que ditou o seu fim. Em causa, na altura, estava a entrada de um quarto operador móvel com licença de terceira geração.

A 02 de outubro deste ano, a PT e a Oi anunciaram um acordo de intenções para a fusão das duas operadoras e das holdings da operadora brasileira, constituindo uma entidade única liderada por Zeinal Bava. A nova empresa, CorpCo, só avançará depois de a fusão ser aprovada por todos os acionistas, com a transação prevista para o primeiro semestre de 2014.

Ainda durante o ano, o mercado contou com a compra da Oni pela Altice, dona da Cabovisão, marcando mais um passo no processo de consolidação do setor das telecomunicações português.

A nível internacional, o grupo britânico Vodafone anunciou a venda da sua participação de 45% na Verizon Wireless, maior operador de telemóveis dos Estados Unidos, à Verizon, uma operação que deverá estar concluída até março de 2014.