A Zon Multimédia foi obrigada pela Autoridade da Concorrência (AdC) a suspender durante 90 dias o seu programa «Cinemas ZON Lusomundo» associado ao cartão myZONcard.

Em causa está uma queixa feita pela Medeia Filmes, sobre o novo cartão myZoncard, que oferece aos assinantes da Zon TV Cabo 52 bilhetes de cinema por ano, nas mais de 200 salas de Cinemas ZON Lusomundo. A empresa de distribuição cinematográfica liderada por Paulo Branco acusa a Zon Multimédia de poder trazer «consequências irreparáveis» para o sector.

Os outros distribuidores (Castello Lopes e UCI) também consideram que o cartão My Zon, lançado no dia 2 de Janeiro, seria desastroso para o negócio, pois trata-se de uma promoção que abrange grande parte dos 1,6 milhões de clientes residenciais da TV Cabo.

Devido a esta forte contestação dos distribuidores concorrentes, «a Autoridade da Concorrência acabou por ordenar a suspensão deste programa durante 90 dias, nas salas de Cinema da Lusomundo nos distritos de Lisboa, Porto, Aveiro, Braga, Vila Real, Coimbra, Setúbal e Viseu», avança a Zon.

A Zon TV Cabo considera «esta decisão injustificada e lesiva dos interesses dos consumidores» e, por isso, revela que vai recorrer desta decisão.

«Não resta para já outra alternativa à Zon TV Cabo senão a suspensão da oferta dos bilhetes de cinema e campanha de divulgação associada, até que esta questão possa ser resolvida. Entretanto, iremos lançar novos benefícios para os detentores do myZONcard», sustenta a empresa, que promete lançar novos benefícios para os detentores deste cartão.

Recorde-se que a Zon lançou o cartão myZONcard em Dezembro de 2008, como forma de premiar os seus melhores clientes.

As acções da Zon Multimédia seguem a ganhar 1,6% para os 3,92 euros.