A Sonaecom e as empresas Kento Holding e Unitel, da empresária Isabel dos Santos, realizaram um aumento de capital na ZOPT, dando mais um passo para a criação da nova operadora resultante da concentração entre a Zon e a Optimus.

A Autoridade da Concorrência deu 'luz verde' à operação de fusão na segunda-feira, que permite a criação da nova operadora, que contará com a ZOPT, veículo que ficará com a maioria do capital da empresa.

Em comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a Sonaecom informou que esta terça-feira «a sua participada ZOPT procedeu ao aumento do seu capital social de 50.000 euros para 716,05 milhões de euros, na modalidade de entradas em espécie já realizadas».

Ou seja, a atual dona da Optimus subscreveu 358 milhões de ações da ZOPT, que realizou mediante a entrega de 94.078.050 ações representativas de 81,807% do capital social da sociedade Optimus. Por outro lado, a Kento Holding subscreveu 124.226.000 ações da ZOPT, que realizou mediante a entrega de 30.909.683 ações representativas de 10% do capital social da sociedade Zon.

No mesmo processo, a Unitel International Holdings subscreveu 233.774.000 ações da ZOPT, que realizou mediante a entrega de 58.147.094 ações representativas de 18,812% do capital social da ZON.

«Na sequência da realização do referido aumento de capital social da ZOPT, a Sonaecom passou a ser titular de uma participação de 50% do capital social e direitos de voto da ZOPT a qual, por sua vez, detém uma participação de 81,807% do capital social da Optimus e uma participação de 28,81% do capital social da ZON».

Além da criação da nova empresa, outro dos passos seguintes será a escolha da nova equipa de gestão da empresa resultante da fusão, refere a Lusa.

Sonae compra posição de 20% da France Telecom na dona da Optimus

A Sonae anunciou esta terça-feira que exerceu a opção de compra de uma participação de 20% que o grupo France Telecom detém na Sonaecom, processo que acontece no seguimento da concentração da Optimus com a Zon.

A France Telecom e a Sonae tinham chegado a 15 de fevereiro a acordo para a venda da posição de 20% que o grupo de telecomunicações francês detinha na Sonaecom, dona da Optimus.

A Sonae tinha uma opção de compra que podia ser exercida em 18 meses e a opção de venda da France Telecom nos três meses subsequentes.

O valor das duas opções, adiantou a casa-mãe Sonae, era de 98,9 milhões de euros, admitindo que este valor pudesse elevar-se até aos 113,5 milhões de euros no caso da participação da Sonaecom ou da Optimus estar envolvida "em alguma operação material de consolidação ou reestruturação do setor das telecomunicações em Portugal cujo anúncio tenha lugar nos próximos 24 meses", referia a Sonae à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Hoje, em comunicado, a Sonae «informa ter na presente data notificado a France Telecom do exercício da opção de compra».

A Autoridade da Concorrência deu luz verde à operação de fusão na segunda-feira, que permite a criação da nova operadora, que contará com a ZOPT, veículo que ficará com a maioria do capital da empresa.