O Tribunal Arbitral de Haia instou esta segunda-feira a Rússia a pagar 50 mil milhões de dólares (cerca de 37 mil milhões de euros) por ter expropriado os ativos da empresa russa de petróleo Yukos.

O executivo russo é acusado de expropriação de bens e de querer acabar com a empresa para que a petrolífera Rosneft, controlada pelo Estado, pudesse aumentar os lucros.

«Esperamos que o Tribunal Europeu dos Direitos do Homem tome boa nota do tamanho deste prémio», sublinhou o ex-diretor financeiro da petrolífera à agência Reuters.

Espera-se que o Tribunal Europeu dos Direitos Humanos em Estrasburgo anuncie na quarta-feira uma decisão acerca da queixa multimilionária feita contra à Rússia pela Yukos.