O World Economic Survey, divulgado esta quarta-feira, refere que a recuperação económica da zona euro «está atrasada» relativamente a outras regiões do mundo e que o fosso entre as economias do norte e sul «é cada vez maior».

No documento, publicado pela Câmara de Comércio Internacional (CCI) e o Instituto de pesquisa económica alemão Ifo, é destacado o crescimento da confiança na zona euro, «embora a recuperação económica esteja atrasada em relação a outras regiões do mundo».

Os elevados níveis desemprego, os défices orçamentais públicos e a «fraca procura» continuam a atormentar vários países, segundo a mesma fonte.

Contudo, as expectativas a seis meses são as mais elevadas de há três anos, estando os especialistas também mais confiantes sobre as perspetivas económicas para os próximos três a cinco anos.

O inquérito da CCI e do instituto alemão Ifo mostra Portugal, Grécia, Itália, Espanha e Chipre ainda em crise, enquanto a Alemanha e a Estónia surgem como as únicas economias avaliadas como «satisfatório para bom».

Em termos mundiais, o World Economic Survey refere que clima económico «vai dando esperanças de recuperação», depois de um terceiro trimestre cauteloso.

O World Economic Survey resulta de um inquérito feito a mais de 1.000 economistas em 120 países.