O Ministro das Finanças alemão, Wolfgang Schäuble, afirmou esta segunda-feira aos jornalistas que o Eurogrupo não tem novas propostas de Atenas para trabalhar.
 
Sem propostas substanciais, avisa o responsável, não se pode preparar uma cimeira sobre a Grécia. E acrescentou que também que o FMI não recebeu qualquer proposta.

Horas antes da reunião decisiva em Bruxelas, o ministro das finanças alemão já tinha insistido na necessidade de Atenas cumprir um plano de reformas.

Para Schäuble existem bons exemplos de que a política de estabilização europeia está a resultar: em países como Irlanda, Portugal, Chipre ou Espanha, as reformas foram acordadas e implementadas.

Já esta segunda-feira a chanceler alemã Angela Merkel optou por refrear o otimismo:

 “Ainda restam muitos dias da semana para tomar decisões”


O comissário europeu para os Assuntos Económicos, Pierre Moscovici, admitiu esta segunda-feira que “o destino da Grécia e do euro são hoje jogados em boa parte”.

O primeiro-ministro grego disse esta segunda-feira em Bruxelas, que é tempo de encontrar uma "solução substancial" que permita à Grécia voltar ao crescimento dentro da zona euro.